Última jornada do Verão

A última jornada do Verão foi um evento “em grande”, com 10 voluntários de manhã e 9 à tarde, no que foi também uma “festa” de despedida do Verão.

O local escolhido para os trabalhos foi o Vale de São Francisco, uma zona onde a presença de mimosas é largamente um problema ainda não resolvido, e onde no dia anterior já tinha trabalhado uma equipa de voluntários do Centro de Juventude de Águeda.

A mancha de mimosas do Vale de São Francisco
A encosta da margem esquerda do vale, onde domina (ainda!) o eucaliptal

As chuvas de Setembro deixaram a paisagem vibrante (em Belazaima caíram 142 l/m2), mas a terra estava tão sedenta que ainda pouca água chegou às linhas de drenagem. No caso do Vale de São Francisco isso era uma vantagem, porque permitia trabalhar mais facilmente em torno do seu curso.

Mas de manhã a equipa ainda trabalhou sobretudo nuns socalcos que aqui foram abertos há mais de 15 anos para plantar eucaliptos, o que, se impactou muito o solo, também permite movimentos mais fáceis ao longo de um terreno de elevado declive. Enquanto isso, uma moto-roçadora ia limpando o silvado que impedia o acesso ao coração do vale.

Os socalcos, originalmente escavados para plantar eucaliptos, contêm agora pinheiros, medronheiros, matagal, e até alguns carvalhos (sem falar nas mimosas, claro)!
Carvalho em lento crescimento, certamente com origem numa bolotada
Descasque de mimosas nos socalcos, durante a manhã.
Descasque, corte e arrumação de ramadas nos socalcos
Corte manual de uma mimosa (em pausa para retoma de forças…)

À tarde, já com o silvado cortado, a equipa embrenhou-se então no coração do vale e encostas adjacentes, cortando mimosas pequenas e médias, arrumando as respectivas ramadas e descascando as maiores. A temperatura ainda superou os 30ºC, e, como o vale tem uma orientação nordeste-sudoeste, à tarde o sol iluminava-o em cheio e as camisas suaram bastante, ainda que parecesse que a sombra das mimosas ajudava a refrescar.

Discutindo o desenrolar dos trabalhos em pleno coração do vale
Trabalhos na encosta da margem esquerda, dominada por grande densidade de mimosas pequenas.
Corte e arrumação de ramadas
Este carvalho conseguiu sobreviver (e crescer) aqui no meio de uma densa macha de mimosas. Agora mais desafogado, veremos como reage.
Panorama dos trabalhos, já pelo final da tarde

Na proximidade da linha de água, as mimosas crescem vertiginosamente e uma atenção regular é fundamental. Mas, temos tantos sítios a requererem atenção regular!…

Pelo final do dia os voluntários estavam cansados e suados, mas os resultados eram bem visíveis no terreno. Sem dúvida que seria bom realizarem-se aqui mais jornadas antes de a água correr abundantemente no vale. Vamos ver se conseguimos, agora já no início do Outono.

Equipa do dia (incompleta)

Obrigado a todos os voluntários, alguns deles estreantes, e ao Paulo Vinagre pelas suas fotos.

Também a lembrar: hoje, 18 de Setembro, passam 17 anos sobre o grande incêndio de 2005, um acontecimento que deixou marcas duradouras!

Até à primeira jornada de Outono! O anúncio das jornadas de Outono sairá em breve.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: