Segunda Jornada de Outono

A segunda jornada de Outono, e também segunda dedicada à colheita de bolota, decorreu em ambiente tão animado como a primeira e com alguns voluntários a repetir a participação, bem como outros em estreia. Por isso se fez um percurso boloteiro diferente do primeiro, apenas com uma pequena parte em comum.

Começou-se deste vez com um percurso pelos mais belos e produtivos carvalhos da Quinta das Tílias, depois de uma pequena formação em colheita de bolota. As últimas duas semanas não foram muito favoráveis à boa conservação das bolotas no solo, pois houve dias relativamente quentes e secos, pelo que era importante colher apenas as bolotas recentemente caídas e de cor bem castanha, deixando no solo as amarelas. Por outro lado, neste dia as condições eram muito boas, porque a temperatura mínima elevada não originou orvalho, o que permitiu uma colheita mais limpa, e ao mesmo tempo a temperatura máxima também já não foi tão elevada como nos dias anteriores, tornando o trabalho muito agradável.

DSC00680
O primeiro carvalho da jornada
DSC00682
Este tinha uma casinha para aves!
P_20191012_100355
O segundo carvalho, numa luminosa visão da Margarida (M)
P_20191012_100413
Uma macieira, mesmo ali ao lado (M)
DSC00684
Já no terceiro carvalho
P_20191012_100851
Serviço de acompanhamento e assistência!
DSC00687
Este foi bastante generoso.
DSC00694
Num grande carvalho bastante inclinado sobre a Várzea
P_20191012_105257
Continuando em direcção ao Ribeiro (M)
P_20191012_104623
O alvo de todas as atenções, à espera de recolha (M)

A abundância de bolotas era grande em quase todos os carvalhos, pelo que a equipa demorou a chegar à zona ribeirinha, onde colheu também castanhas. Já a manhã se encaminhava para o fim quando se colheram as últimas bolotas no produtivo carvalho da Várzea de Além, que já tinha feito as delícias dos voluntários na última jornada.

DSC00696
Já junto ao Ribeiro de Belazaima…
P_20191012_122735
… onde se colheram também castanhas (M)
DSC00702
Um castanheiro bem generoso, revestido de heras
DSC00704
À passagem do ribeiro, com uma galeria ripícola interessante
P_20191012_122752_BF
E que tal a sensação de estar aos comandos de um tractor?! (M)
DSC00708
Agora no formoso e generoso carvalho da Várzea de Além
P_20191012_123621
Ainda o mesmo, agora noutra perspectiva (M)
DSC00707
Aqui as bolotas encontravam-se num “tapete” de trevos

Depois de mais um almoço “de prato” confeccionado também por voluntárias cozinheiras, e de um pequeno relaxamento, a equipa rumou ao Feridouro, já bem mais perto do Cabeço Santo, não apenas para continuar a colheita mas também para alguns momentos de observação e reflexão.

P_20191012_132346
O almoço voltou a ser confortavelmente à mesa (M)
P_20191012_144001
Chegada ao Feridouro (M)
P_20191012_144115
Um bom sítio para um momento de repouso!

O ponto de partida foi o Vale de São Francisco, que por enquanto ainda se encontra seco. Avançou-se depois ao longo da “Quinta” do Feridouro, colhendo bolotas em várias árvores, até finalmente se chegar ao Ribeiro, que aqui apresenta umas águas muito cristalinas, convidando intensamente a uma imersão total, o que só os dois palmos de profundidade nas lagoas mais fundas o impedia.

P_20191012_144304
O casario do Feridouro, escondido entre o verde (M)
DSC00711
Já junto ao Vale de São Francisco
DSC00714
Agora na zona do Cortinhal
P_20191012_145528_SRES
Boa bolota: grande, sem fissuras, cor castanha, sem sinais de bichado nem a presença de fungos
DSC00716
Balde de bolotas recolhidas
P_20191012_152030
Ensaio na natureza (M)
DSC00717
A chegada ao Ribeiro
P_20191012_155604
Feto real, nas margens do ribeiro (M)
P_20191012_155623
À superfície da água, que corre ainda muito serena (M)

Fez-se depois um pequeno percurso de visita, para observar um dos troços de margens ribeirinhas onde as mimosas ainda colocam grandes desafios, e uma área, também junto ao ribeiro, plantada nos últimos anos, com uma diversidade de espécies acima da média.

DSC00719
Agora um pequeno percurso de visita para observar uma futura área de sementeira…
DSC00671
… e, logo ali, uma área ribeirinha bem problemática, devido à presença de mimosas
P_20191012_164251
A prova dos medronhos deste ano! (M)

Quando o dia se deu por terminado, o balanço era positivo: ter-se-á colhido uma quantidade de bolotas comparável à da jornada anterior o que aproximará a colheita total de 300 kg de bolotas e castanhas e entre quarenta e cinquenta mil unidades colhidas!

DSC00729
A colheita deste dia
DSC00725
Os voluntários da jornada

Mas o desafio maior ainda está para vir: semear, nas melhores condições de sucesso possíveis, todas estas sementes. É isso que vamos fazer já a partir de 26 de Outubro, continuando a nossa participação na Grande bolotada ibérica. Mas para isso, necessitamos de uma participação voluntária acima da média. Iremos consegui-lo? Depende de vós, voluntários antigos, recentes e novos! Há, contudo, desde já que moderar possíveis excessos de voluntarismo: as zonas que vamos semear são em geral encostas inclinadas, algumas mesmo muito inclinadas, com tocos e ramadas de eucalipto no solo, onde a movimentação, com balde de bolotas e ferramenta de sementeira, não será propriamente um passeio despreocupado. É sem dúvida uma operação mais exigente do que a colheita. Mas com determinação e entusiasmo, iremos fazê-lo! A partir de 26 de Outubro, no Cabeço Santo e arredores.

Obrigado a todos os voluntários à Margarida (M) pelas suas fotos.

Paulo Domingues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s