3ª jornada de Inverno

A de 9 de Fevereiro foi mais uma jornada bastante participada de voluntários muito dedicados, que se entregaram a diferentes trabalhos: 10 voluntários à plantação de árvores, 3 à selecção de rebentos de carvalho, sobreiro e outras árvores e 2 à remoção de rebentação de eucalipto. Tudo em torno do Vale de Barrocas, que já vai ficando conhecido por todo o mundo!…

Havia um conjunto muito diversificado de árvores para plantar: carvalhos, sobreiros, castanheiros, murtas, lentiscos, adernos e medronheiros. Três equipas avançaram já para oeste da depressão do Vale de Barrocas, duas nas cotas mais elevadas da área e uma um pouco mais abaixo. As primeiras não tiveram tarefa fácil, porque esta área é mais pedregosa do que as de jornadas anteriores, obrigando a uma busca cuidada dos locais de plantação e às vezes a uma operação (ainda mais) exigente de preparação desses locais.

9
Ainda antes da saída da base da Quinta das Tílias, a caixa da carrinha de apoio repleta de plantas, fertilizantes e equipamentos (PV)
DSC_3966
Os voluntários tiverem que caminhar umas centenas de metros até ao local de plantação
l2
Chegada e apresentação do desafio (LM)
l7
Tabuleiro de lentiscos (LM)
DSC_3976
Equipa de plantação da cota mais baixa
DSC_3978
Elemento “picareta” de uma das equipas de trabalho na área de cota mais elevada
DSC_3980
Completando a plantação de um sobreiro
DSC_3982
A contemplação também faz parte da jornada
DSC_3984
Cavando o céu ou cavando a terra?
DSC_3992
Contemplando o trabalho realizado
l3
Balde de plantas (LM)
l6
Aderno plantado (LM)

Na área de cota mais elevada dominam, entre as plantas espontâneas presentes no local, as urzes vermelhas (Erica australis), que se encontram agora quase a abrir as suas flores. Mais abaixo e a nascente do vale são mais frequentes os tojos. As carquejas e as urzes de porte baixo aparecem bem distribuídas por todo o lado. A urze-vermelha é uma urze de porte elevado, de facto, um pequeno arbusto, tal como a urze-branca, que também ocorre no Vale de Barrocas, embora de forma mais pontual.

DSC_4023
Urze vermelha com flores prontas a abrir
DSC_4019
Insecto apressado!
l14
Cogumelos que parecem sair das pedras (LM)

A equipa de selecção de rebentos desceu a uma cota ainda mais baixa da encosta, para trabalhar onde os rebentos são mais abundantes. A equipa dos rebentos de eucalipto, pelo contrário, andou pelas cotas mais elevadas, com boas vistas sobre o vale do Ribeiro de Belazaima, tal como as equipas de plantação.

DSC_4009
Vista da área de intervenção até ao Feridouro
DSC_3999
Vista da área já plantada com o Cabeço Santo em fundo
DSC_4026
Os trabalhos continuam, entre urzes e carquejas
DSC_3974
Observada de longe, a equipa de selecção de rebentos, com os carvalhos da zona ribeirinha em fundo
DSC_4008
Equipa de corte de rebentos de eucalipto, captada ao longe

O dia estava nublado e fresco, sendo as condições para tirar fotos melhores do que em jornadas anteriores.

Depois de um almoço em forma de piquenique, o regresso ao trabalho fez-se sem demora para não deixar arrefecer demasiado os corpos. E durante a tarde as equipas continuaram a progredir para oeste. No entanto, sobretudo para as equipas que trabalhavam acima do caminho onde se encontrava a carrinha de apoio, a deslocação dos materiais (fertilizantes e plantas) encosta acima começou a cobrar o seu tributo e algumas pernas começaram a fraquejar.

l11
O conforto não foi o mais evidente do almoço de campo, mas não deixou de se apreciar
l12
À falta de local mais adequado, mesmo as pedras serviram de apoio para um pequeno descanso

Para compensar os esforços da tarde, os trabalhos concluíram-se com um lanche ainda em pleno campo, já começava a escurecer. Tinha sido um dia longo e muito produtivo! Só teve uma nota negativa a registar: três voluntários inscritos não apareceram nem deram qualquer justificação. Aproveita-se a oportunidade para recordar que, na Sexta à noite anterior a uma jornada já o seguro foi activado, já a alimentação foi preparada, já as boleias foram coordenadas e, no caso de ter havido muitos voluntários inscritos, pode já ter acontecido que alguns tenham sido convidados a adiar a sua participação, pelo que uma falta significa sempre um investimento de esforço que não tem aproveitamento. Claro, são compreensíveis motivos de força maior, mas não motivos menores e sem a gentileza de uma informação. Felizmente é raro haver três faltas: a maior parte dos voluntários tem demonstrado grande responsabilidade, mas claro, há excepções, como aconteceu nesta jornada.

DSC_4027
Voluntária em momento de descontracção, depois de se ter esgotado o stock de materiais
l8
Para o fim da tarde, subir e descer a encosta já não era tarefa fácil (LM)
DSC_4029
Equipa do dia

Na próxima continuaremos pelo Vale de Barrocas, mas, nas cotas mais elevadas do monte, tudo indica que as condições não serão tão difíceis como nesta jornada, porque houve arranque de tocos e o solo está mais “fofo”.

Obrigado aos esforçados voluntários desta jornada. E à Liliana (LM) e ao Paulo Vinagre (PV) pelas suas fotos.

Paulo Domingues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s