Última jornada do ano e pequeno balanço

A última jornada de 2022 foi participada por apenas quatro voluntários, mas o programa não deixou por isso de incluir diversas actividades.

Durante a manhã, plantaram-se arbustos (murta e lentisco) nos espaços entre as árvores já implantadas, numa réplica da jornada anterior, mas com menos voluntários, e de novo com previsão de chuva para os dias seguintes a garantir uma rega de plantação. No final da manhã tinham-se plantado 115, uma boa marca para grupo tão pequeno.

Plantação de árvores
Medronheiro plantado ainda em 2021

À tarde os voluntários dividiram-se entre o corte de eucaliptos e o cuidado das árvores instaladas na época passada. E até mesmo algumas árvores maiores, provenientes de rebentação de raízes que ficaram no solo, receberam cuidados, sobretudo de desramação.

Cuidado das árvores
Exemplo de um cuidado necessário: um jovem sobreiro sofre a feroz concorrência de um “molho” de plantas do género Taraxacum.
Cuidado de um sobreiro já bem ancorado no terreno, resultante de uma árvore que já cá estaria há muito tempo, no meio do eucaliptal.

Tinha sido uma jornada bem produtiva a fechar o ano voluntário, culminando ainda com uma visita às Bicas de Aguadalte e à cascata do Vale de São Francisco.

As Bicas de Aguadalte, no dia 14/12
A equipa do dia: cabeças afinal eram 6!

Agora vamos a um pequeno balanço das actividades do ano de 2022.

Em termos de participação voluntária, melhorou em relação ao ano anterior, embora sem atingir os números pré-pandemia. Nas jornadas ao Sábado foi de 102,5 o número de de participações voluntárias (pessoasxdias), aproximados a 0,5 porque registamos como 0,5 as participações de apenas meio-dia. Aquele valor inclui o coordenador ou coordenadores das jornadas, que também são voluntários.

Para além do voluntariado ao Sábado, a direcção da ACS promoveu também a participação de voluntários do Corpo Europeu de Solidariedade (CES) integrados em programas de voluntariado no Centro de Juventude de Águeda. Estas participações decorreram à Sexta-feira ao longo de várias semanas entre a Primavera e o Outono. Foram 23 jornadas com um total de 69 participações, com acções na floresta, bioconstrução e produção de alimentos. Agradecemos o apoio da Comunidade do Feridouro nestas acções e da União de Freguesias de Belazaima do Chão, Castanheira do Vouga e Agadão com o transporte dos jovens.

Em termos de trabalhos realizados, ainda em Janeiro concluiu-se a época de sementeira de 2021/22 e prosseguiu-se com o cuidado (desbastes, desramações, cortes de silvado) da área de carvalhal da Ribeira do Tojo.

Já no final de Fevereiro, iniciou-se a época de plantação com a plantação de sobreiros e medronheiros na Costa da Malhada. Um início tardio devido à escassa chuva que foi caindo ao longo dos dois primeiros meses de 2022. Consequentemente, plantaram-se árvores até 9 de Abril, uma opção bastante arriscada, mas que acabou por ter um final feliz: embora Maio tenha sido invulgarmente quente e seco, as chuvas que caíram em Junho (e Setembro) salvaram a situação e, apesar do Julho escaldante, “descobriu-se” já em Outubro que as perdas tinham sido mínimas!

As jornadas de Primavera sofreram com a escassez de voluntários, e até a jornada de visita teve de ser cancelada porque coincidiu com um pico de temperatura!

Mas no princípio de Junho as jornadas foram retomadas, ainda que agora fosse a chuva a causar as suas perturbações. E em Julho foi o calor, fazendo com que jornadas a sério só tivessem acontecido a partir de Setembro. Algumas jornadas foram então inteiramente dedicadas ao Vale de São Francisco, removendo mimosas e mesmo fazendo algum adensamento por plantação, que envolveu a participação do colectivo “Plantar uma árvore” e os voluntários do CES.

Finalmente, já encaminhados para o final do ano, voltaram as plantações de adensamento na Costa da Malhada, agora com murtas e lentiscos, e o cuidado das árvores plantadas na época anterior.

Dignos de nota foram também o reconhecimento da ACS como equiparada a ONGA e a candidatura a duas fontes de financiamento: EOCA e Fundo Ambiental, esta última realizada pela Câmara Municipal de Águeda. As duas tiveram “sortes” diferentes, tendo apenas a candidatura ao FA sido bem-sucedida. Esperamos que chegue ao terreno em 2023.

Abracemos então o novo ano e uma forma de o fazer logo no seu início é participando nas Jornadas Voluntárias de Inverno. O anúncio será publicado em breve, mas podemos desde já informara que terão início no dia 7/1.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: