2ª Jornada de Verão

Finalmente, depois de duas semanas de um escaldante Julho, os ventos mudaram, e já nem o sol parece o mesmo.

Assim, foi possível realizar a prevista jornada de 25 de Julho, desta vez quase inteiramente dedicada ao eucalipto! Quer dizer, dedicada à remoção de eucalipto. Tratava-se de uma das últimas áreas a ser intervencionada, já longe do Cabeço Santo e bem perto de Belazaima, aliás uma das mais visíveis de Belazaima: o Cabeço da Lavandeira.

Lavandeira
Lavandeira e arredores numa sobreposição do Google Earth

É esta uma área de forte pendente (exceptuando as cotas mais elevadas do cabeço, onde a Quinta das Tílias plantou medronhal) que parcialmente continha as antigas testadas das terras agrícolas que se situam ao longo do ribeiro. Estas testadas tinham uma função de protecção destas terras e por isso não foram originalmente plantadas com eucaliptos, tendo desenvolvido uma interessante cobertura de vegetação autóctone, frequentemente com árvores de porte significativo. No entanto, os sucessivos incêndios degradaram-nas, promovendo a germinação de sementes de eucalipto provenientes das áreas vizinhas e a degradação da vegetação autóctone, de tal maneira que, nos anos deste século, as testadas da Lavandeira e do Pedaço (a jusante) já estavam totalmente dominadas pela presença de eucaliptos, que frequentemente as ocuparam de forma densa e desordenada.

O objectivo de mais longo prazo da intervenção nesta área é a recuperação das antigas testadas da Lavandeira e de, pelo menos, parte do Pedaço, mas, para já, ficamo-nos pela Lavandeira. Aqui foi possível ir para além das antigas testadas, subindo mais na encosta para incluir antigo eucaliptal plantado. Neste, recorreu-se ao herbicida para desvitalizar as toiças (em 2019), o que foi parcialmente conseguido, mas nas antigas testadas, dada a presença mais abundante de plantas autóctones, isso não foi feito, sendo a rebentação de eucalipto mais densa.

Eis, pois, o objectivo deste dia: remover a rebentação de eucalipto com machados. Mas não apenas isso: na época anterior já se tinha realizado aqui uma sementeira de bolota, pelo que se estava de olho nas plantas emergentes. E com efeito foram encontradas, não em grande densidade, mas estavam lá, na primeira frente de recuperação desta área. Também se usou moto-podadora para cortar alguns eucaliptos de pequeno porte que o último corte do eucaliptal deixou para trás.

DSC01167
Perspectiva da rebentação de eucalipto na área das antigas testadas
DSC01168
Rebentação de castanheiro entre a rebentação de eucalipto
IMG_20200725_101551
Equipa em acção na encosta
IMG_20200725_121331
Em alguns locais constatava-se a presença de esqueléticas árvores autóctones, memória da antiga ocupação deste espaço
IMG_20200725_121302
Perspectiva dos trabalhos, já a manhã ia avançada
DSC01169
Um dos vários carvalhos de origem seminal encontrados

O que não facilitou o trabalho dos voluntários foi o declive do terreno, tanto mais elevado quanto mais se descia em direcção às terras agrícolas. Também a presença de ramadas de eucalipto ainda remanescentes dos cortes não ajudou. Mas a manhã decorreu com dinâmica, ajudada pela frescura do tempo. Constatou-se até que alguns eucaliptos germinados após o incêndio de 2005, que também afectou a área, ainda se conseguiam arrancar, fruto do enraizamento superficial e da concorrência pelo espaço.

DSC01170
Muitos eucaliptos germinados em 2005 ainda se conseguiam arrancar
IMG_20200725_171400
Vista das terras agrícolas e da aldeia de Belazaima

Mas, claro, estamos em pleno Julho, pelo que, depois do almoço, na base de operações da Quinta das Tílias, se fez um relaxamento um pouco mais alongado. Com a temperatura do ar quase a tocar nos 30ºC, mas a descer rapidamente, pouco depois das 15 horas a equipa já se encontrava no terreno outra vez. E os trabalhos prosseguiram até depois das 18:30h. Não se conseguiu acabar, mas também não ficou a faltar muito, apenas uma pequena área de antigo eucaliptal plantado, onde a desvitalização química ainda deixou significativa rebentação. Tinha sido um dia muito produtivo!

IMG_20200725_171345
Trabalho realizado, pelo final do dia na parte oeste da área
DSC01173
Perspectiva, ao longe, da área trabalhada (parte nascente). Na parte menos declivosa (mobilizada) a Quinta das Tílias plantou medronhal (já em 2020).
DSC01171
A equipa do dia

Obrigado a todos os voluntários e ao Paulo Vinagre pelas suas fotos!

Desde já se começou a planear o futuro próximo: em Agosto costumam realizar-se “férias voluntárias”, mas este ano, dado ter-se cancelado uma jornada em Julho, já para não falar nas “da pandemia”, propõe-se realizar uma jornada extraordinária no dia 8 de Agosto para cuidar das árvores e arbustos plantados este ano, cuidado que consistirá sobretudo na rega.

Há voluntários disponíveis para Agosto? É o desafio.

Até breve.

Paulo Domingues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s