A jornada do solstício e a primeira do Verão

Duas e uma semana depois, respectivamente, aqui fica uma memória única das últimas duas jornadas voluntárias, a segunda delas com uma tarde diferente.

A primeira jornada resultou de um adiamento da jornada prevista para 13 de Junho, por previsão de chuva. Chuva que, aliás, praticamente não veio, como escassamente veio a que se previa para as duas semanas anteriores…

20 de Junho:

O último dia da Primavera previa-se já quente, mas afinal a máxima não superou os 26ºC, e uma equipa mais numerosa do que a inicialmente prevista para 13 pôde assim trabalhar sem suar demasiado!

IMG_20200620_100632
Uma foto da jornada?! Sim: na ida colheram-se algumas laranjas no Feridouro

Durante a manhã continuaram os trabalhos (já realizados em jornadas anteriores) na zona ribeirinha do Chão do Linho, de controle das mimosas e de cuidado das árvores, enquanto um voluntário ia abrindo caminho com a moto-roçadora para a encosta do outro lado da ribeira, já no Vale de Barrocas.

IMG_20200620_115938
De manhã, os trabalhos decorreram sempre por perto do ribeiro
7
As mimosas foram o alvo principal
5
Voluntário devidamente equipado avança no terreno!
IMG_20200620_120431
Por vezes a densidade e altura da vegetação eram importantes
14
Pulverizador para aplicar herbicida na superfície de corte das mimosas
8
Voluntárias em acção

O almoço foi, mais uma vez, à sombra dos carvalhos, tendo como aperitivo uma saborosa imersão nas águas da ribeira, mas só para quem se quis oferecer esse presente.

15
Os carvalhos do Chão do Linho, à sombra dos quais se almoçou

Depois do relaxamento sobre a folhagem dos carvalhos a equipa deslocou-se para o Vale de Barrocas para cuidar das árvores plantadas e semeadas ao longo da encosta. Foi só ao iniciar os trabalhos que se descobriu que se tinham trazido demasiadas enxadas e poucos tesourões, pois os trabalhos eram mais de corte do que de sacha… E corte de quê? De ramos mal situados, desramações de ramos baixos, mesmo alguma selecção de varas que não foi possível fazer no Inverno e finalmente corte de ramadas de plantas do matagal, sobretudo tojos, quando invadiam o espaço das árvores. Por vezes com estas ramadas se fazia uma cobertura em torno das árvores.

4
As encostas do Vale de Barrocas
IMG_20200620_151252
Cuidando das árvores no Vale de Barrocas
39
Voluntário no cuidado das árvores
40
Era o dia do solstício e o sol atingiu o seu ponto mais alto no céu pelo meio dia solar!
43
O Cabeço Santo visto do lado sul do ribeiro
31
Uma planta de rosmaninho, raramente encontrada por aqui (só costumam aparecer nas zonas não exploradas do Cabeço Santo)
IMG_20200620_153755
Bonita urze da espécie Erica cinerea

Nalgumas áreas a simples entrada era difícil por causa da densidade do matagal. Nestas terão de se fazer cortes selectivos com moto-roçadora.

Nestes trabalhos se passou a tarde e o dia terminou sereno e agradável, num adeus à Primavera que se despediu para 9 meses de longa ausência!

DSC01138
Os voluntários de 20 de Junho

27 de Junho:

Neste dia previa-se trabalhar apenas de manhã, pois estava programada a Assembleia Geral da Associação Cabeço Santo.

Desta vez a manhã estava fresca e húmida, e a vegetação estava molhada, pois tinha chovido (mas apenas 1,6 mm!) durante a noite. Optou-se por ir à encosta das Costas do Rio (em frente ao Feridouro) procurar e demarcar carvalhos de origem seminal. Munidos de pequenas estacas de bambu, os voluntários distribuíram-se uniformemente pela encosta, evoluindo nela ao longo das linhas de nível.

IMG_20200627_105617
Voluntária, munida das estacas de bambu
P_20200627_105721
Voluntários percorrendo o terreno, procurando carvalhos entre fetos e eucaliptos

Verificou-se que, pelo menos por aqui, a germinação das bolotas não tinha sido muito bem sucedida. Encontravam-se mais plantinhas nas cotas mais baixas e menos nas mais elevadas, mas sempre poucas… Já o sabíamos, a sementeira directa é sempre de resultados imprevisíveis. Por outro lado, verificou-se que os arbustos aqui plantados já no final do Inverno se encontravam com muito boa vitalidade.

DSC01144
Os carvalhos de origem seminal deste ano não eram muitos, mas de vez em quando lá se encontravam…
DSC01142
Outras árvores foram também cuidadas, por exemplo fazendo uma cobertura de fetos
IMG_20200627_111033
Murta plantada este ano
DSC01145
Pilriteiro plantado este ano
IMG_20200627_112307
Um encontro sempre apreciado: Salamandra lusitanica
IMG_20200627_114044
Simethis mattiazzi

A confirmar-se a baixa taxa de germinação, antevê-se a necessidade de aqui se plantarem árvores na próxima época. Mas, uma coisa de cada vez…

Depois do almoço realizou-se a prevista Assembleia Geral da Associação Cabeço Santo, com todos os seus documentos aprovados. Estes documentos estão publicados aqui.

Depois da Assembleia da ACS ainda houve tempo para uma caminhada entre a Benfeita e o Pedaço, junto a Belazaima, sempre ao longo do ribeiro.

Na Benfeita pôde-se observar uma das mais bem conservadas “testadas” das terras agrícolas, e ainda assim a necessitar de algumas melhorias: introdução de arbustos, remoção de eucaliptos e acácias. Na zona do Moinho Novo atravessou-se uma parcela em muito mau estado pela presença de mimosas, mas depois, já em direcção à Várzea-de-Além, as coisas melhoraram, a começar pela pausa junto a um grande carvalho!

IMG_20200627_174029
Já na Benfeita
IMG_20200627_180821
Sobreiros nas encostas da Benfeita
IMG_20200627_181441
Represa do Moinho Novo
IMG_20200627_182145
Paragem junto a um grande e luminoso carvalho

Depois de atravessar as áreas agrícolas da Quinta das Tílias a equipa prosseguiu agora por uma área em mau estado para depois chegar à Lavandeira, esta também uma área em quase início de recuperação onde se constatou o muito que havia para fazer. Aqui as encostas junto às terras agrícolas já tiveram vegetação autóctone em muito melhor estado de conservação, mas os incêndios das últimas décadas danificaram-na muito, a par com a expansão dos eucaliptos por germinação após o fogo. Quaisquer trabalhos são bastante dificultados pelo elevado declive. Mas, aqui voltaremos em breve.

IMG_20200627_183226
Um caixote-ninho na Quinta das Tílias

Já no Pedaço atravessou-se o ribeiro e fechou-se o circuito pela levada do Rego de Cima, terminando “em beleza” com a observação de um grande carvalho no Pedregal, por certo uma das árvores mais notáveis do percurso.

DSC_4884
Carvalho do Pedregal, embora aqui numa foto de Abril

E assim se concluiu um dia especial.

DSC01150
A foto do final do dia já não contou com alguns dos presentes da manhã.

Obrigado a todos os voluntários e à Margarida Fonseca e ao Paulo Vinagre pelas suas fotos.

As jornadas de Verão regressam já no dia 11, mas desta vez está-se a prever algum suor, com um pico de temperatura exactamente no Sábado… Mas são previsões. Ainda podem mudar! Até lá.

Paulo Domingues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s