A jornada do Dia da Floresta Autóctone

No dia 25 de Novembro tivemos a jornada de celebração do Dia da Floresta Autóctone com mais uma concorrida acção de sementeira de bolota: quase 20 voluntários, embora alguns não tenham ficado todo o dia (e outros, inscritos, não tenham aparecido).

A manhã decorreu numa parcela do Vale da Várzea de onde os eucaliptos foram recentemente removidos. Apesar de ter pouco mais de 1,5 ha, a parcela tem um relevo complexo, com declive frequentemente elevado. Ainda com os eucaliptos em pé, foi percorrida pelo incêndio de 28 de Abril passado, dando origem a que a tonalidade dominante da área seja o negro. Pior do que isso, formaram-se as típicas crostas de cinza que dificultam a penetração da água no solo, fenómeno agravado pelo declive e pela escassa precipitação. Mesmo em locais planos, foi possível observar um sítio onde se acumulava água à superfície, mas o solo por baixo se encontrava completamente seco. Isto pode ser um problema, pois as bolotas necessitam de um entorno com certa humidade para se manterem vivas. Tentou-se dar preferência aos locais onde a água conseguiu penetrar no solo, mas nem sempre isso foi possível. Durante toda a manhã se trabalhou neste local, tendo ainda alguns voluntários cortado rebentos de eucalipto.

24019778_1493227584124715_531519600_n
Vale da Várzea, uma perspectiva mais sombria
24008681_1493227484124725_1379123979_n
Vale da Várzea, uma perspectiva mais animadora!
DSC_2158
Vale da Várzea: trabalhos em curso
DSC_2150
Vale da Várzea: em paralelo com a sementeira, uma equipa local recolhia pedaços de toco de eucalipto

Nesta parcela uma máquina (giratória) com enxó partiu toiças de eucalipto para as desvitalizar e acelerar a sua decomposição, mas só nos locais onde o declive do terreno o permitiu.

Dada a proximidade e maior facilidade de processar o almoço, que desta vez foi feijoada, a refeição fez-se na base de operações da Quinta das Tílias.

IMG_1024
Desta vez o almoço quase pareceu um serviço de refeitório!

À tarde a equipa rumou ao Vale de Barrocas para continuar o trabalho das jornadas anteriores. Acabou a mancha de rebentos de eucalipto que na jornada anterior tinha ficado avançada e continuou a sementeira no entorno do braço principal do Vale de Barrocas, nas suas cotas mais elevadas. Tinha a expectativa de receber uma equipa de reportagem do Porto Canal, mas esta, tendo andado meio perdida no Cabeço Santo, acabou por chegar demasiado tarde e ficou-se pelo caminho de acesso ao Feridouro. Apesar disso, fez a reportagem.

24020083_1493226314124842_1283227578_n
Voluntários a caminho para o local de intervenção no Vale de Barrocas
23972595_1493189067461900_1872720120_n
Perspectiva do Vale de Barrocas
CIMG6518
Equipa, já incompleta, no final

O encerramento da jornada fez-se de novo na base da Quinta das Tílias, quando já alguns voluntários não estavam presentes. Tinha sido mais uma produtiva jornada, mas os resultados vêm-se (oxalá!) mais tarde. Obrigado a todos os voluntários! Continuamos dia 9 de Dezembro.

Paulo Domingues

One Reply to “A jornada do Dia da Floresta Autóctone”

Deixe uma Resposta para weareonezeitgeist Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s