Calluna vulgaris

A torga pode ocorrer em povoamentos quase extremes, sobretudo em solos degradados e empobrecidos. O período de floração é muito variável, tendendo a ser curto na nossa região, frequentemente apenas no Outono. As flores pequenas e o facto de o ensombramento (dos eucaliptos) limitar fortemente a floração, tornam esta urze mais discreta do que as restantes, apesar da sua abundância.

Contudo, tradicionalmente, tinha um grande número de usos: como planta medicinal (diurética, infecções das vias urinárias, gota e reumatismo); aromatizante (de vinhos e cervejas); no fabrico de um carvão de excelente qualidade (usado por ferreiros); como planta melífera; para acender fornos de pão; para fazer vassouras; como corante de lã de ovelha, dando-lhe uma bonita tonalidade amarela!

Em Belazaima é muito abundante, pois é uma das constituintes dos matagais de solos pobres e degradados que se encontram nas plantações de eucaliptos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Flore de Calluna vulgaris
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
“Drama” numa flor de Calluna vulgaris: uma aranha, notavelmente camuflada, captura uma abelha
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Flores de Calluna vulgaris cobertas por teias de aranha
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pinhal com estrato sub-arbustivo dominado por Calluna vulgaris, no Outono