Áreas ribeirinhas não rupícolas, desde 2009

Estas são áreas que incluem antigas terras agrícolas da aldeia abandonada de Belazaima-a-Velha, tanto na margem norte como sul do ribeiro, embora tenham também algumas encostas. Iniciam-se, de montante para jusante, quase junto ao encontro do vale nº 7 com o ribeiro, ainda perto das ruinas de Belazaima-a-Velha, prolongando-se pelo Cambedo, e a Ribeira do Tojo, vindo a terminar onde se inicia a propriedade o Pé torto.

Depois da operação principal de remoção de mimosas, iniciada em 2009, estas áreas foram plantadas com carvalhos e outras árvores e arbustos a partir da época de 2009/10, e foi feito o aproveitamento da regeneração natural. Como se trata, em geral, de solos de boa qualidade, particularmente os antigos solos agrícolas, o desenvolvimento das árvores foi bom, mas mesmo 10 anos depois essas áreas continuam a requerer bastante trabalho de controlo da vegetação espontânea (silvado, fetos) e das mimosas, que embora de ocorrência pontual, crescem de forma vertiginosa.